TUTORIAL TIMECODE VIRTUAL_DJ






Olá, bem vindo a mais um tutorial.

Se você está aqui, certamente se enquadra na situação abaixo:

Você tem em casa os seguintes equipamentos
- um ou um par de CD players profissionais (CDJs) ou então um ou um belo par de toca discos (não importa o modelo ou fabricante)
- um mixer ou então um controlador com placa de som interna (não importa o modelo ou fabricante)
- o VirtualDJ rodando no seu computador

Mas você está cansado de ter que carregar cases e cases de CDs ou vinis, e já deve ter visto um DJ qualquer por aí tocando com o mesmo equipamento que você, porém usando um programa de computador, que você também tem mas só sabe operar usando teclado.
Você viu o cara operando e achou estranho que ele nunca troca o CD ou vinil, mas está sempre tocando músicas diferentes. E se olhou com mais atenção, você viu que as músicas estão todas no HD do computador.
Você também quer utilizar tudo isso em conjunto. Exatamente como os DJs dos vídeos abaixo.




Então amigo, se você não tem equipamentos que citei acima, esta leitura será para você apenas um meio de aumentar seu conhecimento. E de um dia almejar este objetivo.

Mas se você tem equipamentos, BINGO! Neste tutorial você saberá tudo que for necessário para que seu equipamento faça exatamente a mesma coisa que você assistiu nos vídeos. Você conseguirá que o seu CDJ ou toca-discos controle os decks do VirtualDJ, e que as músicas passem a ser tocadas pelo programa, ao invés de ter que carregar dezenas de CDs para a sua festa. Você usará seu mixer ou seu controlador para ouvir as músicas e fazer transições, equalizar, e pré-escutar as faixas, exatamente como um mixer deve funcionar, porém recebendo áudio do computador (que é quem toca as músicas).

Mas atente para o fato: mesmo sendo dono destes equipamentos, pode ser que seja necessário alguns outros itens para fazer isso funcionar. Você saberá quais durante a leitura do tutorial.

Aqui falaremos do sistema que possibilita tudo isso. O SISTEMA TIMECODE / DVS VIRTUALDJ.

SISTEMA TIMECODE ou DVS (DIGITAL VINYL SYSTEM) : INTRODUÇÃO

Os sistemas de simulação digital de vinis, ou DVS, permitem que você manipule fisicamente a reprodução de arquivos de mídia digital utilizando um toca-discos ou CD player comuns como controladores de software. A base deste tipo de sistema é um sinal de áudio conhecido como sinal timecode.

A palavra TIMECODE literalmente significa “código de tempo”. É uma tecnologia que utiliza sinal de áudio com qualidade estéreo como referência para que um programa especial faça endereçamento de velocidade, tempo e sentido de reprodução de um arquivo em reprodução por este programa, utilizando uma interface específica para esta aplicação.

Este sinal pode ser gravado em qualquer tipo de mídia, como exemplos CDs, vinil, atré mesmo mídias voláteis (pen-drives, cartões de memória). Cada fabricante costuma desenvolver um sinal próprio.

Você pode tocar CD ou vinil com este sinal em aparelhos convencionais usados por DJs (toca-discos e CD players) e, quando enviado a uma interface especial, dotada de drivers ASIO (para windows) ou compatível com MAC CoreAudio, possibilitam que o deck do VirtualDJ “imite” o toca discos ou CD player. Isso quer dizer que todos os movimentos que você fizer com o CD player ou no toca-discos serão imitados pelo deck do programa. O arquivo que você carregar no deck, seja de áudio ou de vídeo, seguirá as ordens do seu CD player/toca discos, avançando e voltando conforme os comandos do mesmo.

Ou seja, TIMECODE ou DVS são temos usados para qualquer sistema de “simulação de vinil ou CD” usando um software. Você toca um CD/vinil especial no seu aparelho, e deck do programa se comporta como se fosse o CD player/toca-discos, e você controla o deck do programa usando seu CD player/toca-discos.

Os recursos para realização desta função somente estão disponíveis no VirtualDJ PRO FULL. Mas não somente o VirtualDJ faz isso. O sistema timecode/DVS mais famoso em uso é o SERATO, da RANE/ITCH. O Traktor da Native Instruments também tem um timecode engine. A vantagem do VirtualDJ é que ele é compativel com dezenas de interfaces ASIO, e também pode se adaptar a diversos sinais timecode disponíveis no mercado.

Veja o desenho. Ele mostra os 4 componentes básicos de um sistema timecode:
  1. SINAL
  2. FONTE DE REPRODUÇÃO
  3. INTERFACE
  4. PROGRAMA


Elementos de um sistema TIMECODE/DVS

Abaixo, iremos tratar cada elemento separadamente, aprender como cada um desempenha sua função dentro do sistema e dar detalhes sobre configuração.

Notas:
  • Este tutorial será baseado quase que exclusivamente em sistemas operacionais WINDOWS. Não serão citados dados sobre sistemas MAC pois não tenho nenhuma experiência prática em configuração de timecodes em MAC.
  • O Hardware e equipamento utilizado como exemplo, e donde serão exibidas figuras sobre configuração: Turntables Technics SL-1210MK2; Vinis timecode VirtualDJ; placa de som da controladora Hercules DJ Console MK2; mixer Gemini PS01; Notebook HP DV1088NR. Procure fazer a correlação com seu hardware e equipamentos disponíveis.


1) SINAL

O sinal timecode é o primeiro elemento do sistema. É ele que cria as referências para o sistema de “endereçamento de tempo” que é o objetivo de todos os sistemas timecodes. Além de referência de tempo, o sinal timecode serve também para que o programa saiba o sentido (pra frente ou para trás) e calcule a velocidade de rotação.

Existem 2 tipos principais de sinal timecode: o sinal LINEAR - entre estes está o sinal do VirtualDJ - e o sinal NOISEMAP - como exemplo, cito o sinal Rane/Serato.

Como se trata de um sinal sonoro, o mesmo é composto por frequencias. Para os nossos ouvidos, ele não é nada mais que um “beeeeeeeep” interminável e monótono. Mas sistemas eletrônicos “ouvem” este sinal de um modo muito diferente. Veja abaixo como exemplo um trecho do sinal timecode do VirtualDJ.


Sinal timecode do VirtualDJ exibido no Sound Forge, em zoom máximo

Em cada cada intervalo de 0,01 (um centésimo de segundo) deste sinal, podemos notar que as frequencias do canal direito apresentam um arranjo diferente (veja como cada quadro colorido é diferente do outro). É este arranjo de frequencias combinados entre o canal direito e esquerdo que torna um centésimo de segundo diferente do outro para o sitema timecode, e possibilita que o sinal sonoro seja convertido para tempo e assim, que cada centésimo de segundo da música seja mapeado. Cada centésimo de segundo dos 12 minutos de duração do sinal timecode é diferente do outro, o arranjo de frequencias nunca se repete. Quando o sistema timecode “ouve” um trecho diferente do sinal, ele sabe que aquele trecho corresponde a, por exemplo, 1:10:0.23 (um minuto, dez segundos e vinte e três décimos) da música carregada no deck do programa.

Um detalhe importante: de acordo com o modo de timecode escolhido (SMART, RELATIVE ou ABSOLUTE) esta interpretação de tempo se modifica. Veremos mais detalhes no elemento 4, quando darei detalhes sobre o programa.

Como você pode observar, cada centésimo de segundo é diferente no sinal timecode. Então é importante que tenhamos um sistema computadorizado rápido suficiente para:
- interpretar rapidamente este sinal sonoro
- converter este sinal em tempo
- associar o tempo com a música carregada no deck
- dar retorno em áudio
E isso tudo tem que acontecer em um tempo tão pequeno que para nós deve ser quase imperceptível.

É então o momento apropriado para falarmos da famosa LATÊNCIA que nada mais é do que o tempo decorrido entre um estímulo ao sistema (por exemplo, iniciar a reprodução do sinal timecode) e a resposta do sistema a este estímulo (o início da reprodução da música pelo programa). Em geral, os tempos de resposta de latência são definidos em mili-segundos ou milésimos de segundo, ou seja, mais do que suficiente para ler um sinal que muda a cada centésimo de segundo. Falaremos mais sobre latência quando verificarmos o elemento 3, a Interface.

Cada fabricante utiliza um sinal timecode diferente. Mas o VirtualDJ é compatível com vários sinais existentes no mercado, esta é uma grande vantagem em relação a outros sistemas similares. Veja abaixo os sinais que podem ser utilizados com VirtualDJ.


Relação de sinais que podem ser utilizados OU timecode engines do VirtualDJ versão 7.0.2


ALERTA!!!
  1. Se você possui vinis ou CDs com o sinal Traktor MK2, você não conseguirá obter resultado com VirtualDJ. Até a versão 7.4.1, o VirtualDJ não é compativel com o sinal timecode mais novo Traktor.
  2. As letras "A" e "B" citadas na frente do nome de alguns dos sinais acima mostrados não se referem ao deck A e deck B (se você pensar assim, poderá cometer o engano de escolher o sinal errado para um dos decks). Se você comprar vinis/CDs iguais, então terá que escolher a mesma opção de sinal no menu drop-down.

ONDE CONSEGUIR O SINAL TIMECODE?

Se você é dono de toca-discos, você precisará comprar vinis que tenham este sinal gravado. Existem várias lojas na internet que possuem estes vinis especiais para venda. Pesquise usando Google.
Nota 1) O VirtualDJ recomenda que se use o sinal RANE SERATO CV-02 (ou série 2)
Nota 2) O sinal timecode VirtualDJ é gravado em vinis Numark Virtual Vinyl

Se você é dono de CD players, é possível conseguir o sinal gratuitamente na internet. Basta fazer o download e gravar um CD ou gravá-lo em um pen-drive e espetar no seu equipamento (desde que ele tenha entrada para pen-drive, claro).
Você pode baixar o sinal VirtualDJ neste link. Atente para os 2 tipos de sinal, escolha conforme o modelo do seu CD player.
Do mesmo modo, você pode também baixar o sinal Rane-Serato neste link. Observe as instruções para queimar o CD antes de qualquer coisa.

2) FONTE DE REPRODUÇÃO

A fonte de reprodução é um jeito difícil de denominar o equipamento que você usará para tocar, ou reproduzir, o sinal de áudio timecode. Em geral, um toca-discos ou então um CD player.

Não existe limitação de modelo ou fabricante, mas idealmente o aparelho deverá possuir controle de pitch (velocidade de rotação do motor). Esta variação no pitch, propiciada pelo deslizante do equipamento, será percebida pelo sistema timecode e o pitch do programa se ajustará automaticamente, na mesma proporção à redução ou aumento feito no deslizante “físico”. Caso você faça opção por utilizar um equipamento sem pitch control, precisará sincronizar automaticamente todas as músicas carregadas no deck antes de realizar a transição.

Neste momento, é importante falar sobre CD players que possuem recursos de controle direto. Aparelhos que possuem saída MIDI / HID / Firewire / Serial (protocolos de comunicação) na grande maioria podem “conversar” diretamente com o programa, tornando desnecessário o uso de um sistema de controle timecode. Eis alguns exemplos: Pioneer CDJ-400, Pioneer CDJ-350, Pioneer CDJ-850, Pioneer CDJ-900, Pioneer CDJ-2000, Denon DN-S1200, Denon DN-S3700, Denon DN-S2900, Denon DN-S3900, Numark V7, Numark NDX-800, Numark NDX-900, Gemini CDJ-650, Gemini CDJ-700, etc. Para saber se seu aparelho tem este recurso, basta ler atentamente o manual de instruções do mesmo. Caso seu equipamento tenha recursos de comunicação direta, você não precisa de nada que escrevi neste blog. Para aprender a conectar e configurar seu equipamento procure tutoriais específicos na internet.

Equipamentos que reproduzem mídia a partir de memórias voláteis, como Pen-drives e iPODs, também podem ser usados. Mas não se confunda: as entradas USB destes aparelhos servem para que você conecte seu dispositivo móvel, e no dispositivo móvel você gravará o sinal timecode. NUNCA conecte diretamente a saída USB deste equipamento em seu computador caso ele não tenha recursos de comunicação direta com computadores, como acima orientado.

Em resumo, se seu equipamento gera áudio, ele pode ser rutilizado para gerar o sinal timecode!


Você tem um destes? Sim, você pode ter timecodes! Você tem algo diferente disso? Sim, você PODE ter timecodes!

Nota para DJs que utilizam CDJ com timecodes (ou seja, se seu CDJ é um controlador MIDI/HID, vá aprender a usá-lo corretamente em outro lugar).

Uma vez que seu equipamento está sendo utilizado para gerar um sinal para controle de um programa, é perfeitamente normal que algumas funções do equipamento parem de funcionar.

Isso é até uma coisa meio óbvia, pois o áudio que está tocando esta sendo tratado pelo computador, e não mais pelo CDJ. Consequentemente, mudanças no áudio somente serão percebidas se feitas utilizando o programa. Obviamente também, será possível inserir efeitos no áudio após o processamento pelo programa, ou seja, caso seu mixer possua efeitos ou você use um gerador de efeitos.

Uma coisa que certamente pára de funcionar são os efeitos do CDJ, como Jet, Zip e Wah. Consequentemente, mexer no jog para aplicação dos efeitos será inútil, pois o jog também não realizará esta função.

Basicamente somente funcionarão as funções de ajuste de faixa (search, cue, pitch) e o jog só servirá para pitch bend, ou scratch.

Não tenho certeza se o loop funcionará bem. Suspeito, a exemplo da função cue, que caso esteja trabalhando com baixas latências a resposta possivelmente será satisfatória.

Caso você queira aplicar efeitos na música, utilize os efeitos do VirtualDJ.

Esta dica é importante para DJs que utilizam vinil, trata-se de um ponto negativo no uso deste tipo de mídia para reproduzir o sinal.

O vinil foi o modo pioneiro de registro de áudio, portanto estamos falando de reprodução analógica por contato físico. A agulha entra com contato direto com os sulcos do vinil e recebe estímulos magnéticos que originam o som. Comparativamente, num CD player a leitura de dados é feita por um feixe de luz em contato com a mídia.

Nos dois tipos de mídia é importantíssimo manter a superfície de leitura SEMPRE limpa, porém o vinil é mais suscetível a sujar em razão da manipulação direta e constante da superfície do disco pelo DJ, e também pode haver contaminação pelo ambiente (poeira, vapor de óleos em suspensão, etc).

Por isso é comum que vagarosamente a sujeira vá incrustando na agulha. E assim, de uma hora para outra, por causa dessa sujeira, ocorre redução do contato entre a agulha e a superfície de leitura, consequentemente você perde 100% de qualidade no sinal timecode o que gera erro na reprodução e a música começa a falhar.

Portanto, tenha sempre um recurso imediato para este caso, um atalho de teclado que desliga o sinal timecode, e a reprodução passa a ocorrer sem referência do timecode engine. A função VDJ Script é TIMECODE_ACTIVE. Assim que perceber falha, acione imediatamente o atalho. Remova a incrustação ou troque a agulha, reposicione a agulha no vinil, reative o timecode engine usando o mesmo atalho já citado, e continue a festa.

Importante citar que o comportamento do programa ao retornar a agulha ao vinil poderá variar, no meu caso eu uso sempre em modo SMART, pois ele não corrigirá a posição da música, independente da posição de retorno da agulha no vinil.

3) INTERFACE

A interface nada mais é que uma placa de som. Esta placa de som pode ser adquirida separadamente, ou pode ser parte integrante de um controlador ou de um mixer.

Porém, algumas coisas a diferem de uma placa de som simples. Uma placa de som apropriada para timecodes geralmente possui algumas características importantes:
  • 4 entradas. Em cada par de entradas será ligado um aparelho de reprodução (CD player ou Toca-discos)
  • 4 saídas. Cada par de saídas será conectada a um canal do mixer externo.
  • Tempo de resposta rápido, ou baixa latência.

Seguem algumas dicas sobre INTERFACES/PLACAS DE SOM DE CONTROLADORES,TOCA DISCOS e MIXERS x INTERFACES/PLACAS DE SOM APROPRIADAS:
  • Importante observar que alguns modelos de controlador possuem entradas, porém não possuem saídas pois o próprio controlador será usado como mixer.
  • Ter um controlador não significa que ele pode ser usado em timecodes. Muitos controladores são fornecidos sem placa de som, tais como Hercules MP3 E2, Numark Mixtrack, Numark Total Control, Numark DJ2Go, Ion Discover DJ, Hercules DJ Control Steel, etc. Você até poderá usar estes controladores desde que adquira uma interface/placa de som apropriada, conforme explicado acima.
  • Cuidado com mixers que possuem conexões para computadores, como USB ou MIDI. Mixers possuem entradas de áudio, o que pode te levar a pensar que só com o mixer você conseguirá timecodes perfeitos.
    Mixer com conexão USB não significa que ele tenha uma placa apropriada para timecodes. Os maiores enganadores neste sentido são os mixers USB da Behringer linha VMX-USB, pois são baratos e volta e meia alguém compra um pensando em timecodes.
    Outros tipos de mixers são controladores ao mesmo tempo, mas geralmente estes mixers só tem conexões MIDI - que possibilita controle do programa - mas não possuem placas de som.
    Se você é dono de um mixer MIDI (Behringer DDM-4000, Pioneer DJM-800, Pioneer DJM-700) ou se você é dono de um mixer USB (Behringer VMX-100USB, Behringer VMX-300USB, Numark M1-USB, Numark M6-USB) e deseja inseri-los em um sistema timecode, esqueça as funções de controle deste equipamento, equeça as conexões USB e utilize-os como um mixer normal, o que demandará uma interface apropriada conforme citado aqui.
    Mas se você possui um dos mixers que abaixo listei em “Qual placa de som/interface posso usar?” aí sim será possível alcançar seu objetivo sem uma interface dedicada.
  • Do mesmo modo que acima citado com mixers, alguns toca-discos possuem conexão USB (ex. Numark TT-USB, Ion TT-USB, Audio-Technica AT-LP2D-USB, Stanton T.92 USB, etc.). Nenhum destes equipamentos fabricados até o momento possuem placas de som com características que permitam substituir uma interface apropriada para sistemas DVS, em geral estas placas de som são destinadas a digitalização de discos de vinil.
  • Se você tem um controlador que tem placa de som mas não possui entradas, então não há nenhuma possibilidade de utilizá-lo sozinho para um sistema timecode. Você precisará de uma interface e seu controlador poderá controlar o mixer interno do VirtualDJ.
    Mesmo se você adquirir uma interface, necessitará alguns ajustes personalizados nas configurações de áudio do VirtualDJ para uso da controladora. Se você se encontrar nesta situação, trata-se de uma exceção ao modo comum de uso, procure o fórum em português do VirtualDJ e abra um tópico para discussão.
    Seguem exemplos de algumas controladoras que tem placa integrada mas não servem para timecodes pois não tem entradas: M-Audio Xponent, Hercules DJ 4-Set, Hercules DJ Control AIR, Hercules DJ Control Instinct, Pioneer DDJ-ERGO-V/K, Pioneer DDJ-T1, Pioneer DDJ-S1, Numark Mixtrack Pro, etc.
  • Se você tem um controlador que tem placa de som com 4 entradas e 4 saídas com drivers ASIO ou Core Audio... isso não significa que tenha suporte para timecodes.
    Sim! Essa foi uma surpresa também para mim! O áudio das entradas destes controladores não pode ser direcionado para a entrada do programa DVS. Os mesmos não usam uma configuração comum de placas 4inx4out aplicável em interfaces DVS. Por um motivo técnico que só cabe aos fabricantes destes controladores pois a configuração interna de cada um deles é individual. Trata-se de uma limitação de hardware.
    Mas é possível utilizar estes controladores como um mixer stand-alone, substituindo o mixer dentro do sistema DVS. Ou seja, você precisará de uma interface 4inx4out apropriada, mas poderá ligá-la diretamente às entradas de áudio do controlador e selecionando esta entrada de áudio pelas chaves seletoras de canal do controlador.
    Eis alguns exemplos que se enquadram neste modo de uso: Numark Mixdeck, Numark Mixdeck Express, Numark Mixdeck Quad, Numark NS6, Pioneer DDJ-SX.


Estas interfaces são bem legais...

3.1) DRIVER

O driver é um programa que serve para que seu dispositivo (hardware) possa se comunicar com o sistema operacional, e fazer seu trabalho. Todos os sistemas operacionais usam driver, todas as versões de Windows ou Mac, mas cada componente geralmente tem um driver diferente para cada sistema operacional. Veja abaixo alguns cuidados ao lidar com drivers.
  • Cada um com seu cada um
    Cada versão do sistema operacional exige um driver próprio, portanto esteja atento sobre isso ao instalar sua interface. É comum drivers para Windows 7 não servirem para Windows XP, e vice-versa. E também drivers para sistema 32bit não serem compatíveis com sistemas 64bit.
  • Always Up-to-date
    Procure sempre instalar versões atualizadas dos drivers. Visite a página de suporte do fabricante de sua interface regularmente e baixe as atualizações disponíveis. Observe SEMPRE se está usando os drivers corretos para seu sistema operacional.
  • Instalação corrreta
    Siga corretamente as instruções do fabricante para instalação de drivers, um erro na instalação comprometerá o funcionamento do seu sistema timecode. Por exemplo, algumas interfaces devem somente ser conectadas ao computador durante o processo de instalação, quando o programa de instalação solicita que a mesma seja conectada.

3.2) LATÊNCIA

A principal característica de uma placa para timecodes é um tempo de resposta rápido o suficiente para processar o sinal timecode, conforme já explicado na seção 1 – sinal.

Quanto menor o valor de latência, melhor será a resposta do sistema timecode. Porém, alguns computadores podem não suportar latências da ordem de 2ms, que são as menores geralmente encontradas em placas de som para timecode. Por isso, para fins de ajuste do sistema comece trabalhando com latências médias na ordem de 12ms. Depois do sistema ajustado e tendo 100% de qualidade timecode, passe aos testes de sistema, reduzindo a latência e observando a resposta do sistema, principalmente pela qualidade do som da interface.

Windows (ASIO)
Placas de som WDM comuns, compatíveis com sistema operacional Windows, não são recomendadas para timecodes pois a latência destas placas é muito alta. Para reduzir este tempo de resposta, a Steinberg desenvolveu novos drivers que passam por cima de algumas barreiras construtivas dos drivers WDM fazendo com que o aplicativo se conecte diretamente à placa de som, com isso reduzindo este tempo de resposta. Estamos falando dos drivers ASIO (Audio Stream Input/Output). Este tipo de driver é restrito ao sistema Windows. Caso queira saber mais sobre ASIO, clique aqui para acessar a Wikipédia (em inglês).

MAC OS (Core Audio)
Para computadores Apple, que utilizam sistema operacional MacIntosh, o bom e velho MAC, nada disso se aplica. O MAC OS utiliza uma filosofia de gerenciamento de áudio muito diferente chamada Core Audio. O Core Audio possibilita conexão direta do aplicativo à placa, propiciando um tempo de resposta baixíssimo, com latências reduzidíssimas. Quando uma placa é compatível com MAC OS, basta conectar ao sistema, o reconhecimento é imediato.

Os problemas mais comuns derivados de um ajuste mau feito de latência: no caso de uma latência baixa demais em sistemas que não tem boa capacidade de processamento, o som pode apresentar alguns “clicks” e “glitches” (distorções). No caso de latência alta demais, pode haver delay entre a execução do comando e a resposta do programa. Um caso muito comum para usuários de CDJs que ajustam o programa com uma latência muito alta, é o não funcionamento do CUE e do PAUSE.

Algumas placas de som não usam o termo latência (latency), ao invés disso usam o termo tamanho do buffer ASIO (ASIO buffer size). Procure por este ajuste no gerenciador da sua interface.

3.3) QUAL PLACA DE SOM/INTERFACE OU CONTROLADORA POSSO USAR?

Para reconhecer uma placa que poderá ser utilizada para timecodes, observe o número de entradas e saídas com conexões RCA; e compatibildiade com ASIO (Windows) ou CoreAudio (MAC). Se for uma controladora, somente se tiver placa própria com as características já citadas.

Seguem alguns modelos de placas, controladoras MIDI/HID e mixers USB/Firewire que conheço e muito possivelmente podem ser usados para timecodes no VirtualDJ pois tem as características que citei acima. Mas existem dezenas de equipamentos disponíveis no mercado que podem ser usados, caso você saiba de algum que não esteja nesta lista, não precisa ficar preocupado. E se você pensa em comprar algum equipamento abaixo listado, lembre-se de realizar uma pesquisa completa para confirmar se o mesmo poderá ser usado para o fim que você necessita.
  1. Placas de Som / Interfaces (requerem mixer externo comum)
    • DJ Tech Soundbox Pro
    • ESI Maya-44 USB
    • ESI Maya-44 PCI
    • ESI U46DJ
    • ESI U46XL
    • Native Audio4DJ
    • Native Audio6DJ
    • Native Audio8DJ
    • Native Audio10DJ
    • Rane SL1
    • Rane SL2
    • Rane SL3
    • American Audio Versaport (limitado: 1 toca-discos ou 2 CD players)
    • Hercules DJ Trim 4&6
    • Numark Virtual Vinyl interface
    • M-Audio Conectiv vinyl interface
    • M-Audio Audiosport Quattro USB
    • M-Audio Fast Track Pro (limitada: somente uma entrada stereo)
    • M-Audio Fast Track Ultra (limitada: tem duas entradas stereo porém duas delas só aceitam sinal balanceado +4Db)
    • Echo Audiofire4
  2. Controladores (não requerem placa de som externa ou mixer)
    • American Audio VMS-2
    • American Audio VMS-4
    • Numark N4
    • Hercules DJ Console MK2
    • Mixvibes U-Mix Control Pro
    • Hercules DJ Console MK4
    • Hercules DJ Console RMX
    • Hercules DJ Console 4MX
    • Behringer BCD-2000 (limitado: 2 toca-discos ou 1 CD player)
    • Behringer BCD-3000 (limitado: 2 toca-discos ou 1 CD player)
    • Stanton djc.4/voxoa c50, c60
    • Reloop Digital Jockey 3
    • Denon DN-MC6000 (nota: até bem pouco tempo o senso comum na internet informava ser impossível esta aplicação, somente usando uma interface própria. Recentemente isso caiu por terra, creio por causa de uma mudança no firmware Denon)
  3. Mixers USB/Firewire (não requerem placa de som externa)
    • American Audio DV2
    • Denon DN-X600
    • Denon DN-X1600
    • Denon DN-X1700
    • Korg ZERO 4
    • Reloop IQ2-MIDI
    • Reloop RMX40-MIDI
    • Allen&Heath Xone:3D
    • Allen&Heath Xone:4D
    • Allen&Heath Xone:DB4
    • Pioneer DJM-900 Nexus
    • Pioneer DJM-850
    • Pioneer DJM-T1
    • Rane TTM57-SL
    • Rane 62
    • Rane 68

3.4) SENSIBILIDADE DE ENTRADA DA INTERFACE X SENSIBILIDADE DE SAÍDA DA FONTE DE REPRODUÇÃO

Um passo importante dentro de um sistema timecode é “casar” corretamente a sensibilidade de entrada da sua interface, com a sensibilidade de saída do seu equipamento reprodutor. Um erro neste processo pode gerar perda de qualidade no sinal timecode, e errar nisso é muito fácil pois as conexões dos equipamentos são as mesmas. Saiba os níveis de linha mais utilizados em equipamentos comerciais e profissionais:
  • PHONO (2,5mV)
    É o nível de saíde de TODOS os toca-discos para DJs do mercado, profissionais ou não. Caracteriza-se por conexões RCA.
  • LINE UNBALANCED (-10 dBv)
    Também conhecido como auxiliar, nível de consumo ou não-balanceado. É o nível de linha da grande maioria dos equipamentos não profissionais, como CD players comuns, gravadores, DVD players, Blu Ray players, etc. Também caracteriza-se por conexões RCA.
  • LINE BALANCED (+ 4 dBu)
    Também conhecido por nível de linha profissional ou balanceado, é o mais comum para entradas de amplificadores profissionais e caixas ativas. Caracteriza-se por conexões P10 ou XLR.
  • LINE BOOSTED (+ 8 dBu)
    Chamado também de nível de linha amplificado, é comum entre CD players profissionais para DJs. Como exemplo, todos da linha CDJ Pioneer.

Procure observar sua interface. Algumas possuem chaves que alternam a sensibilidade de entrada entre PHONO e LINE UNBALANCED, como exemplos as interfaces ESI U46DJ e o controlador Hercules DJ Controla MK2. Outras interfaces têm este ajuste através de software, você determina a sensibilidade através do gerenciador da placa de som, como os controladores Hercules MK4, Hercules 4-MX.

Os usuários de CDJs Pioneer, Denon, ou qualquer outro que trabalhe com nível de linha amplificado (pra saber se é o seu caso, consulte o manunal do seu CDJ) costumam enfrentar um grande problema para casar sensibilidade entre as interfaces e o CD player, pois muitas interfaces não têm ajuste de sensibilidade compatível com o nível de linha amplificado utilizado por estes aparelhos. Este problema se caracteriza por um “crack” quando bate o grave da música (clique 
aqui
 e ouça uma amostra). As soluções mais frequentes são:
  1. Antes de pensar em casamento de sinal, verifique se consegue um bom resultado simplesmente reduzindo ou aumentando a latência diretamente no gerenciador da sua interface. O simples chiado não significa necessariamente uma entrada saturada.
  2. Alguns fabricantes fornecem o sinal timecode com redução de nível na ordem de -14 dBu, específico para estes aparelhos. Atente para este detalhe quando obtiver o sinal timecode.
  3. Algumas interfaces possuem ajuste de ganho negativo, o que possibilita a redução
  4. Existem componentes eletrônicos que possibilitam este ajuste, clique aqui e veja um guia com vários destes itens, atente-se à parte Conectando CD PLayers - Nível de linha Amplificado. O guia é específico para Hercules Mk2 e Hercules RMX, porém use a analogia para adaptar a seu sistema.

3.5) OUVI FALAR QUE DÁ PRA FAZER TIMECODE COM PLACA DE SOM COMUM, OU COM MENOS DE 4 ENTRADAS. É VERDADE?

Como já citei acima, placas WDM possuem latência alta e não são recomendáveis para timecode.

Porém, já fiz experiências antes com VirtualDJ 4.3 e timecodes com duas placas WDM, e tive um resultado satisfatório com vinis, e ruim com CD players. Também já me relataram sucesso nesta experiência usando duas placas e versões mais recentes do programa. Pelo que conheço do VirtualDJ, acredito que seja possivel para vinil e não acredito em sucesso usando CD players, mas como há muito tempo tenho usado interfaces próprias, não posso colaborar com informação sobre este experimento.

Quando se toca neste assunto, sempre surge o nome de um programa considerado salvador dos donos de placa WDM: o programa ASIO4ALL. Mas isso não é real, existe muita especulação e pouco fato sobre o ASIO4ALL. Por isso ele merece uma citação aqui. Este programa é usado para enganar aplicativos que não trabalham com WDM. Ele não força latências menores na sua placa WDM, e não irá representar nenhuma alteração significativa para o processo. Não espere melhorias só pelo fato de usar o programa, porém ele é reconhecido pelo VirtualDJ e pode ser usado na tentativa de uso de WDM para timecode.

Sobre uso de somente duas entradas (ou uma entrada stereo), é possível. A diferença é que os dois decks serão controlados por somente um aparelho, um deck de cada vez. Neste tutorial, não abordarei com detalhes este tipo de configuração pois foge do padrão normal quando se usa sistemas DVS. Caso você se encontre nesta situação, deverá buscar soluções baseado em analogias de funcionamento com o sistema padrão.

CONECTANDO SEU SISTEMA TIMECODE

Antes de iniciarmos as configurações no programa, precisamos conectar os elementos do sistema timecode.

As figuras abaixo retratam os modos mais comuns de conectar. É claro, como utilizei exemplos na maioria das vezes seus componentes não estarão fielmente retratados, portanto você precisará fazer um exercício de substituição e verificar qual dos 3 modos seus componentes melhor se encaixam. Uma vez que você já sabe quais os componentes do sistema timecode, lembre-se que nenhum deles poderá faltar no processo.

É importante que você verifique a condição dos cabos a serem utilizados para conectar seus componentes. Cabos com mau contato podem trazer problemas quando precisarmos configurar.

Também é importante que os drivers de sua interface ou controlador (somente para Windows) estejam devidamente atualizados.

Existem outros modos de conectar seu sistema timecode. Clique aqui e veja como eu costumo conectar meus equipamentos.


Este 3 modos de conexão são os mais comuns para timecodes

Após proceder as conexões, lembre-se qua algumas interfaces ou controladores possuem entradas chaveadas. A posições destas chaves irão variar conforme o equipamento ligado nas entradas. Portanto, leia com atenção o manual do seu equipamento para posicionar estas chaves devidamente. Um erro neste passo também põe a perder todo o trabalho feito até agora. E um erro nesta definição (por exemplo, ligar um CDJ numa entrada PHONO) poderá até mesmo danificar seu equipamento.

4) PROGRAMA

Somente o VirtualDJ Pro Full possui recursos para uso de timecodes, portanto este sistema nunca funcionará com outra plataforma do programa.

Caso você seja usuário de versões ilegais do VirtualDJ Pro Full, lembre-se que não há garantias de funcionamento de nenhum recurso do programa com versões ilegais. Não estou aqui para condenar ninguém por suas opções, mas lembre-se disso caso não consiga um funcionamento perfeito do seu sistema timecode.

timecode engine do VirtualDJ permite que o programa interprete o sinal e responda de 3 maneiras diferentes, que são chamados modos de monitoração.

4.1) MODOS DE MONITORAÇÃO TIMECODE (*)
(*) Retirado do manual do VirtualDJ Pro v.5.0.4
  • Absolute (Absoluto) – Este modo é semelhante à forma como a música é tocada normalmente em um vinil. O início do disco corresponde ao início da faixa e ao mover a agulha para outra posição no vinil – também chamado needle dropping – também mudará a localização do ponto de reprodução na faixa. Observe que o modo absoluto não permite que sejam utilizados alguns recursos do programa, como looping e pontos de indexação (cue).
  • Relative (Relativo) – Neste modo, o software vai monitorar o movimento relativo do disco (para frente, para trás), mas não acompanhará o controle de posição de faixa dentro do sinal timecode. Assim, por exemplo, não será possível localizar outra posição da faixa movendo-se a agulha até outra parte do disco. Esta modalidade é perfeita para scratch DJ’s, pois permite a execução da manobra sem se preocupar que a agulha pule para outra parte do disco – o programa irá compensar qualquer movimento repentino da agulha que possa ocorrer. Neste modo é possível utilização de alguns recursos adicionais do programa, como looping e pontos de indexação (cue).
  • Smart (Inteligente) – Este é o modo padrão de monitoração do timecode, que recomendamos para a maioria dos usuários. No modo Smart, é possível mover a agulha para localizar trechos na faixa, e também permite uso de outros recursos do programa, tais como pitch, loops e pontos de indexação.

4.2) CONFIGURAÇÃO DE ÁUDIO (SOUND SETUP)

Essa é a parte fácil, basta abrir o VirtualDJ e realizar o setup conforme abaixo.

Segue também como realizar o setup utilizando o advanced audio config do programa, mas use somente caso tenha alguma necessidade especial de áudio, por exemplo, gravar suas mixagens usando VirtualDJ atravésd o Record Loopback.

Que fique claro aqui que utilizei um exemplo. Você deve ficar atento para utilizar os drivers do dispositivo que você tem instalado em seu sistema, seja controlador ou somente placa de som.

4.2.1) VirtualDJ + Mixer Externo + Placa de som (interface)


Usando Mixer Externo


Deste modo, você obtém o mesmo resultado no ADVANCED AUDIO CONFIG

4.2.2) VirtualDJ + Controlador


Controlador, é deste modo... mas use o driver do seu controlador

Nota: para alguns modelos de controlador, pode haver dificuldade em definir diretamente o driver ASIO conforme modelo acima. Neste caso, utilize na caixa SOUNDCARD a opção relativa ao seu controlador ao invés de ASIO.

4.3) PERFORMANCES/DESEMPENHO

No VirtualDJ, é possível definir o valor de latência a ser utilizado na placa de som. Porém, é recomendável que se mantenha a opção “Auto” definida, pois assim o programa não forçará valores de latência na interface. O ajuste de latencia (ou ASIO buffer) deve ser realizado sempre no gerenciador da sua placa de som.


Preencha esta guia conforme definido acima. Trata-se da maneira mais “leve” para operação do programa.
Caso sua resposta seja satisfatória, altere valores para melhorar o desempenho do programa.
Para saber o que faz cada ajuste, consulte o manual do VirtualDJ (clique aqui)

4.4) AJUSTE DO SINAL

O tutorial abaixo foi baseado no conteúdo da Wikipage VirtualDJ, clique aqui para ver o original. Créditos ao autor JeremK, tradução e adaptação minha. Este mesmo conteúdo foi traduzido para o português e consta da WIKI em português, clique aqui caso queira vê-lo (o conteúdo basicamente é o mesmo deste tutorial).

Primeiramente, lembre-se que um sinal timecode é um sinal de áudio com qualidade estéreo, então você precisa ao menos uma entrada estéreo, normalmente sendo do tipo line para CDs e phono para vinis.
Nota: este tipo de entrada é recomendável, porém talvez seja possível através dos ajustes internos do programa, utilizar somente entradas do tipo line para receber os 2 tipos de sinal. Porém nunca utilize entradas phono para conectar CDJs.

Antes de iniciar o ajuste, certifique-se de ter concluído as seguintes etapas:
  1. Concluir as conexões entre a interface e mixer (ou controlador), as fontes de reprodução e o computador/programa apropriadamente.
  2. Ajustar corretamente através do painel de configuração da interface, ou via chaveamento, o tipo de entrada adequado para o aparelho que está reproduzindo o sinal.
  3. Instalar corretamente o driver da sua interface, conforme modelo e fabricante da mesma e sistema operacional de seu computador.
  4. Ajustar através do gerenciador da interface, habilitando os drivers ASIO e a latência inicial para o timecode engine (trabalhe com latências medias entre 10 e 20ms). Lembre-se: conforme já citei no tópico interfaces, a latência ideal é a menor possível, aquela cujo valor definido trouxe a melhor resposta de controle e qualidade de áudio. Isso poderá variar conforme seu sistema, mas sempre que observar problemas, refaça este ajuste.
  5. Definir corretamente o sound setup do programa, conforme acima explicado na seção 4.2.

Para acessar o módulo de configuração do timecode engine do VirtualDJ, basta clicar no botão TIMECODE CONFIG, ele aparecerá na guia SOUND SETUP ao lado da caixa INPUTS assim que você definir nesta caixa a opção timecode ou timecodes.

O primeiro passo é escolher apropriadamente o engine, de acordo com o sinal que você está reproduzindo no seu equipamento. Para saber os sinais compatíveis, retorne ao tópico 1, referente ao sinal timecode.


Escolha do engine nada mais é do que definir o sinal neste menu
(infelizmente, tive que reproduzir de novo a mesma figura que tá no tópico 1... afffss)

Uma vez definido o engine, você precisará certificar-se que os sinais estejam sendo lidos e analisados adequadamente pelo programa. Estas etapas são diferentes conforme usando discos Noisemap ou Lineares:

4.4.1) CONFIGURAÇÃO DO SINAL - NOISEMAP (SERATO)


Janela de configuração de timecodes, para sinal Noisemap

O primeiro passo é certificar-se que o sinal de entrada tenha uma aparência limpa e apropriada.
Para isso será preciso que a primeira janela exiba dois círculos perfeitos se juntando no quadrante inferior direito, como mostra a imagem.
Use o botão de “Gain” para ajustar o tamanho do sinal para que ele caiba dentro da janela.
Use os botões “Stereo” e “Phase” para que a forma do sinal aparente círculos perfeitos.
Se o seu sinal for extremamente “barulhento”, você poderá usar o “noise LP filter” para deixar ele limpo.
Se sua interface somente possui entradas nivel “LINE” e seu toca-discos tem saídas nível “PHONO”, você poderá usar o “RIAA phono filter” para converter o nível de sinal “PHONO” para “LINE”. Esta opção aciona um pré-amplificador interno do software.
Caso você observe uma velocidade igual a -200% (o disco no programa estará rodando ao contrário) será preciso alterar o ajuste “invert signal stereo”.
Uma vez que obtenha um sinal “limpo”, o indicador de velocidade (dígitos no canto superior direito) exibirá o valor correto, e você terá um comportamento ideal quando usar pitch ou scratch (modo “relative”).

O segundo passo é fazer com que o VirtualDJ possa interpretar 100% do sinal timecode.
Para isso, será preciso obter na segunda janela quatro fileiras de pontos brancos, separadas em dois grupos por uma linha verde.
Caso alguma das fileiras por vezes corte a linha verde, você perderá 100% de detecção do timecode.
Uma vez que você obtenha uma separação clara entre as fileiras, o indicadores “position” (dígitos no canto superior esquerdo) e “timecode quality” (dígitos no canto inferior direito) exibirão os valores corretos, e você terá um comportamento perfeito ao fazer o “needle drop” (modo “absolute”).
Nota de tradução: “Needle drop” é o nome do movimento que realizamos ao levantar e posicionar a agulha do toca-discos em outra posição do vinil. É o mesmo comportamento obtido ao usaer as teclas “search” dos CDJs.

O terceiro passo é certificar-se que VirtualDJ detectará a interrupção de movimento do vinil ou interrupção do sinal.
Para isso, aperte a tecla STOP ou levante o braço do toca-discos.
Então, ajuste o botão “silence” até que o círculo verde no centro da primeira imagem cubra toda a área alcançada pelo sinal verde proveniente do chiado gerado pelo equipamento (esse chiado é normal, principalemte para toca-discos).
Tenha cuidado para que o círculo cinza não fique muito grande. Ele nunca deverá encostar nos círculos verdes quando o disco estiver tocando.

4.4.2) CONFIGURAÇÃO DO SINAL - LINEAR (VIRTUALDJ)


Janela de configuração de timecodes, para sinal Linear

O primeiro passo é confirmar que os cabos do CDJ/toca-disco não tenham sido invertidos ao conectar na interface.
Para isso, observe que a terceira janela deverá exibir duas ondas,sendo a verde antes da vermelha, e também a verde tem uma altura constante, mas a vermelha tem variações na altura, conforme a figura.
Caso a onda vermelha apareça antes da verde, altere o ajuste “invert signal stereo”.
Caso a onda vermelha tenha altura constante e a verde tenha altura variável, altere o ajuste “invert signal phase”.

O segundo passo é certificar-se que o sinal de entrada tenha uma aparência limpa e apropriada.
Para isso, você precisará que a primeira janela exiba uma forma parecida com um “olho”, consistindo de um círculo perfeito formado de pequenas linhas horizontais, e dentro deste círculo uma forma oval também composta de pequenas linhas horizontais, e as duas formas se juntando nas partes centrais, no topo e na extremidade, conforme figura.
Use o botão de “Gain” para ajustar o tamanho do sinal para que ele caiba dentro da janela.
Use os botões “Stereo” e “Phase” para que a forma do sinal externo aparente um círculo perfeito.
Se o seu sinal for extremamente “barulhento”, você poderá usar o “noise LP filter” para deixar ele limpo.
Se sua interface somente possui entradas nivel “LINE” e seu toca-discos tem saídas nível “PHONO”, você poderá usar o “RIAA phono filter” para converter o nível de sinal “PHONO” para “LINE”. Esta opção aciona um pré-amplificador interno do software.
Uma vez que obtenha um sinal “limpo”, o indicador de velocidade (dígitos no canto superior direito) exibirá o valor correto, e você terá um comportamento ideal quando usar pitch ou scratch (modo “relative”).

O terceiro passo é fazer com que o VirtualDJ possa interpretar 100% do sinal timecode.
Para isso, será preciso obter na segunda janela três fileiras de pontos brancos, separadas em três grupos, um acima da área cinza, um dentro na área cinza, e um abaixo da área cinza, conforme figura.
Caso alguma das fileiras por vezes corte a área cinza, você perderá 100% de detecção do timecode.
Uma vez que você obtenha uma separação clara entre as fileiras, e a fileira central dentro da área cinza e sob a linha verde, os indicadores “position” (dígitos no canto superior esquerdo) e “timecode quality” (dígitos no canto inferior direito) exibirão os valores corretos, e você terá um comportamento perfeito ao fazer o “needle drop” (modo “absolute”).

O quarto passo é certificar-se que VirtualDJ detectará a interrupção de movimento do vinil ou interrupção do sinal.
Para isso, aperte a tecla STOP ou levante o braço do toca-discos.
Então, ajuste o botão “silence” até que o círculo verde no centro da primeira imagem cubra toda a área alcançada pelo sinal verde proveniente do chiado gerado pelo equipamento (o chiado é normal, principalmente para toca-discos).
Tenha cuidado para que o círculo cinza não fique muito grande. Ele nunca deverá encostar nos círculos verdes quando o disco estiver tocando.

4.5) OPÇÕES

Uma vez obtido 100% de detecção do timecode, você poderá ajustar algumas opções para customizar o timecode engine conforme seu gosto.
  • Adjust for 45 RPM: selecione isso caso prefira fazer scratch com seu toca-discos na velocidade de 45 RPM (todos os discos timecode são normalmente em 33 RPM).
  • Disable Pitch / Pitch sensibility / Smooth: por padrão, VirtualDJ irá interpreter os movimentos do deslizante de pitch do toca-discos e traduzir isso através de movimento do pitch da tela do programa.
    Isso possibilitará que você use recursos como KeyLock ou BeatSync automático.
    Porém, face natureza intrínseca da tecnologia timecode, o programa não pode diferenciar claramente uma mudança de pitch de um movimento de scratch, portanto a mudança no pitch será instantânea.
    Estas opções te darão controle da sensibilidade de detecção de pitch. Ajuste-as conforme seu gosto.
  • ClearSound: ClearSound era uma tecnologia utilizada em versões antigas do engine linear VirtualDJ, para suprimir um efeito de “som debaixo d’água” que era inerente a estes engines em particular, quando usando baixas latências. Uma vez que este problema não está mais presente nos novos engines, ClearSound é desativado por padrão, mas você pode ativá-lo se usando engines antigos e perceba esta distorção.
  • AntiSkip: AntiSkip é uma tecnologia que permite ao programa faça uma compensação automática para ignorar “pulos” da agulha para outro sulco do vinil quando fazendo scratch de modo mais “violento” (ou se seu toca-discos estiver muito suscetível a fontes de vibração). Por padrão, esta opção está ativa.
  • LeadTime: LeadTime é a quantidade de “espaço vazio” ou silêncio no início do sinal timecode, para assegurar que o começo do seu MP3 esteja em um aposição do seu disco timecode onde o sinal esteja forte e plenamente identificável.

4.6) RESOLVENDO PROBLEMAS

4.6.1) A janela de configuração exibe uma forma de onda quadrada.



Existe registro que alguns usuários NÃO conseguram configurar timecodes com Denon DN-S3500, Pioneer CDJ-800MK3, e outros CD players profissionais. Estes aprelhos demandam um sinal timecode com nível muito baixo em razão do nível de suas saídas (veja mais no item 3.4).

Um sinal timecode com nível muito alto geralmente é exibido no timecode config com uma forma de onda quadrada. É um problema muito comum durante a fase de ajuste, por isso está mencionado aqui. Resolva-o com uma das ações abaixo:

  • Verifique se baixou o sinal timecode correto
  • Conforme se fez o “casamento” correto dos níveis de saída do player e de entrada da interface.
  • Se a sua interface possuir ajuste de ganho NEGATIVO, reduza o ganho da entrada
  • Em casos que não é possível reduzir ainda mais o ganho de entrada e o sinal timecode está CORRETO, reduza o nível do sinal com um editor de áudio.


4.6.2) O botão CUE e PAUSE da minha CDJ não funcionam ao usar timecode, ou há um pequeno atraso entre apertar o PLAY e tocar a música

Repetindo o que já escrevi no tópico sobre LATÊNCIA: “Um caso muito comum para usuários de CDJs que ajustam o programa com uma latência muito alta, é o não funcionamento do CUE e do PAUSE.” A mesma coisa provoca atraso na resposta do PLAY. Reveja o tópico para saber como ajustar a latência da sua interface, busque o menor valor possível.

4.6.3) Quero usar o CDJ ou toca-disco para tocar CDs ou vinis normais, mas não quero desligar o sistema timecode. Como posso fazer isso?

Basta desativar o sistema timecode para o aparelho em questão, assim o sinal do toca-discos passará diretamente da entrada para a saída da sua interface e você poderá tocar discos ou CDs comuns e usar seu mixer ou controladora para fazer a transição. Este processo é chamado de "by-pass".

Algumas interfaces, como as Native Audio6DJ, AUdio4DJ, Audio8DJ e Audio10DJ tem um sistema de by-pass por software. Basta acessar o painel de controle da interface e verificar se a opção de by-pass está marcada. Verifique isso na sua interface, leia o manual da mesma, confirme se esta opção existe.

Algumas controladoras possuem o botão SOURCE que realiza esta função, e em interfaces de áudio basta acionar um atalho de teclado para desativar o timecode usando a função timecode_bypass ou deck [x] timecode_bypass para desativar em um deck específico, onde [x] é o número do deck (para deck 2 ou deck 3, atere o número do deck na função). Caso você queira que o deck também processe o sinal do seu vinil - assim você poderá aplicar efeitos também ao sinal do vinil - use a sintaxe timecode_bypass & deck [x] linein [y] ou deck [x] timecode_bypass & deck [x] linein [y] onde [x] é o número do deck e [y] é o número da entrada line que você quer endereçar ao deck. Você pode atribuir atalhos de teclado para estas mesmas funções, caso você não use controladoras.

Alternativamente, se você usa um mixer externo com no mínimo 2 canais x 4 entradas (2x4), há uma maneira de se conectar seus equipamentos e usar tanto com controle por timecode quanto tocando áudio direto dos equipamentos reprodutores, sem necessitar ativar ou desativar o sistema timecode. Clique sobre a imagem abaixo para baixar o esquema em tamanho natural e faça a substituição dos componentes conforme seu hardware disponível (o link te levará ao 4Shared, clique em "download" para baixar a imagem original).



4.6.4) Li tudo mas só vi orientações para usar 2 aparelhos reprodutores (CD player ou toca-disco) no sistema timecode. Como fazer para usar SOMENTE UM CD player ou toca-disco?

Simples, basta conectar somente um aparelho à sua interface, preferencialmente nos canais 1&2, e ao configurar o VirtualDJ, no box INPUTS, escolher a opção TIMECODE (no singular mesmo). Assim, seu equipamento controlará o deck ativo do programa (deck ativo é o deck selecionado para pré-escuta).

4.6.5) Consegui 100% de sinal, porém ainda tenho falhas de sinal, chiados no áudio. O que posso fazer?

Em geral, as principais causas para estes tipos de problema são:
  • Erros de casamento entrada/saída > Veja mais no item 3.4
  • Mau contatos > Verifique o estado dos cabos que usou para conectar seu sistema
  • Latência > o ajuste deve ser feito conforme orientado no item 3.2. Cada sistema trabalha melhor com um determinado valor, descubra o que melhor se adapta a você.
  • Desempenho > veja mais no item 4.3


4.6.6) Error in the ASIO driver. O que é isso?

Fácil. A placa que você definiu no sound setup não tem drivers ASIO. Isso acontece por alguns motivos:
  1. Sua placa de som não tem ASIO. Certifique-se de estar usando uma placa com as caracterísitcas citadas no capítulo 3.
  2. Erro na configuração de áudio. Reveja o tem 4.2, logo acima, e confirme se está fazendo a coisa certa.
  3. Sua placa está definida em modo WDM (comum em placas Hercules). O Windows está usando sua placa como padrão. Remova a placa como padrão do Windows e defina a placa em modo ASIO usando o gerenciador da placa de som antes de abrir o VirtualDJ

Fonte: Forum VirtualDj.com

Comentários

  1. Cara, pfavor... essa faixa laranja nas letras dá um cansaço imenso na vista, embaralha tudo. Tive q imprimir pra aguentar ler tudo isso. Se o fundo é escuro, use uma fonte clara ou mesmo branca e pronto...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Bugelo é o convidado especial do Dj Mané nesta quarta no San Diego Bar: